quarta-feira, 20 de abril de 2016

Sorri tristezas


Hoje carreguei o sossego
do silêncio que não desarma

carreguei a melodia da melancolia
na nuvem carregada de chumbo

e carreguei todas as gotas
que brotaram do infinito mundo

hoje nasci grito de chuva
na verticalidade do momento

e sorri tristezas

como quem lambe os dedos
na febre das ausências

hoje abracei o vento
num carinhoso rosto
de saudade

hoje bebi chávenas e chávenas
de indiferença

mas nada bastou para manter
o laço
da vivacidade

hoje morri mais um pouco nas mãos
do poema

apesar da impotência
e do timbre comum
da intimidade.

Rosa Alentejana Felisbela
(imagem da net)

4 comentários:

  1. Que hoje carregado de experiências! Mas a mais bela delas é a poética.
    Beijo, amiga*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Há dias assim Renata rsrs
      Beijinho amiga! Obrigada!!

      Eliminar
  2. Fernando Pessoa dizia que "A inspiração poética é um delírio equilibrado, mas sempre um delírio".
    Não sei se é ou não verdade, mas que escreves poemas fantásticos lá isso escreves!

    Um beijo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que, na maioria das vezes, é delírio! rs
      Muito obrigada Jorge. Beijinho

      Eliminar