quarta-feira, 27 de abril de 2016

Luz


Se eu, ao menos, fosse a folha da oliveira,
teria a esperança de um dia
vir a ser a luz dos teus escritos!

Rosa Alentejana Felisbela
(imagem da net)

4 comentários:

  1. Alguns escritos têm luz própria, como os seus. Outros têm luz emprestada, como os meus. Amei a luz do seu.
    Beijo e boa noite*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muito obrigada linda! Reflexos da vida :)
      beijinhos

      Eliminar
  2. Olha, publiquei outra poetisa lá no Poesia. Se puder, apareça.
    Bom dia*

    ResponderEliminar