segunda-feira, 22 de maio de 2017

Amor-perfeito


Ainda o sol
Mal nascia, já
O calor percorria os
Rios das minhas veias, perdidas

Parecendo
Entender o
Rio do nosso querer
Faiscando e
Envolvendo
Intensamente
Todo o corpo, inclemente como
O perfume mais que perfeito das nossas vidas!

Rosa Alentejana Felisbela

domingo, 21 de maio de 2017

Myrtilis


Sobe-nos à cabeça
o “chamado à oração”
quando o canto se derrama
p’la vila, p’la rua, p’lo coração

sobem as ruas, sem pressa
as tendas, as cores,
as peles,
as sombras,
as peças de vidro – na mão

e o odor a incenso
e a chá de “Alhambra”
murmura mil essências
aos sentidos
que ficam em contemplação

sabor a “baklava”
sabor a “kebab”
e as maravilhas do óleo
de “Argão”

descida íngreme
degrau exigente
e a gente sorri
às letras do “Alcorão”

Rosa Alentejana Felisbela
21/05/2017

quinta-feira, 11 de maio de 2017

Herdade da Coitadinha


Por entre as faces caiadas
do bucólico mar de azinho
sopra e trepa o silêncio
num vendaval
num remoinho

serpenteando entre os rios
nasce a estrada poeirenta
e a ponte estreita os imaginários
numa paz que acalenta
uma oração atenta

sentam-se os montes ao longe
observam-nos os moinhos d’água
bebendo de nós os poços
toda a tristeza, toda a mágoa

e nas árvores de luz
vestidas de sombra e magia
pia a garça boieira, num assomo
aos animais, no seu lento pastoreio

e há um caminho empedrado
que nos relembra a história
de um povo atormentado
que conseguiu a sua glória

a proteção de um Tenente
a solidariedade local
(hoje toca recorrente)
na fronteira entre o “bem” e o “mal”
que abriu portas a tanta gente

hoje existe uma tranquilidade natural!

Rosa Alentejana Felisbela
11/05/2017