sábado, 4 de junho de 2016

Palavras amenas


Amarrotou a folha que o papel abriu
às letras de uma prece tão impura
como beijos carregados de ternura
em rosto falso que verdade assumiu

Atirou-a longe do cetim da brandura
e gritou um grito sádico que brandiu
a mágoa que o ponto final destruiu
na margem branca que tinha doçura

Desfez-se o poema em mil pedacinhos
numa carrancuda cascata de penas
quando o vento mensageiro de carinhos

o envolveu em seus braços, apenas
como se os próprios sopros paulatinos
devolvessem as palavras… amenas!

Rosa Alentejana Felisbela
(Imagem da net)


4 comentários:

  1. Com essas palavras amenas,
    esses lindos olhos brilham
    sobre as tuas faces morenas
    quando lágrimas não oscilam!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As lágrimas são lavadas pelo vento...
      Abraço

      Eliminar
  2. Tão triste, intenso e belo.
    Beijinhos
    Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A intensidade mede-se apenas na forma como sentimos determinadas emoções...
      Beijinhos

      Eliminar